Almoço Cultural da Rússia: além da Copa do Mundo

O primeiro Almoço Cultural do ano foi para celebrar um dos maiores eventos de 2018: a Copa do Mundo. A anfitriã do evento, a Rússia, foi o país escolhido pela turma Junior, que além de confeccionar cartazes, ainda contribuiu com a escolha do cardápio.

A Rússia está entre os 32 países que participarão da Copa do Mundo, que acontecerá nos meses de julho e agosto. Porém, não foram as características relacionadas ao campo do futebol que se destacaram na apresentação, mas sim curiosidades relacionadas à cultura, geografia e história do país. “Achei bem interessante, não só porque pesquisamos, mas também porque eu pude aprender mais. Estou muito ansioso com a chegada da Copa do Mundo e agora que eu conheço melhor a cultura, acho que vou acompanhar melhor os jogos”, afirma o aluno Enzo Holanda. “Durante a pesquisa, fiquei com a parte da culinária e a maioria das coisas que eles comem eu não gostei. Mas eles têm várias outras características legais, as bonecas, a referência no ballet, então foi muito divertido fazer esse trabalho”, comenta a aluna Noêmia Ciribelli.
Em relação à alimentação, a nutricionista Natara é da mesma opinião que Noêmia, mas contou com sua experiência para trazer a culinária da Rússia para o cardápio de maneira a agradar o paladar de todos. “A gente sempre tem que adaptar. Porque é bom conhecer o que se come em outros países, mas o almoço tem que acontecer. Lá, por exemplo, eles têm o “shashlik”, que são carnes e legumes no palito. Na receita, além dos temperos bem diferentes, o palito não seria adequado à alimentação dos alunos menores. Então servimos uma carne com legumes e fizemos usando o nosso tempero. É uma maneira de conhecer e experimentar algo diferente. Além disso, a equipe da cozinha e as crianças escolheram outros pratos. Fizemos um canelone recheado de carne moída, que imita a massa que tem na Rússia, salada russa (“Olivier”), servimos suco de uva e pão de mel de sobremesa”, explica a nutricionista. Para o professor da turma, Felipe Noronha, a pesquisa foi uma atividade realizada com sucesso. “Apresentamos para as turmas da teachers Natany (Teens) e Alessandra (Junior High)” e achei bem interessante, porque a Rússia é um país um pouco distante da nossa realidade, não sabemos muito sobre ela, e com a chegada da Copa os alunos ficaram mais motivados”, conclui o professor.